Durante duas semanas, três a quatro horas por dia, o autor sentou-se a uma mesa numa galeria disponibilizando o seu serviço enquanto executor de todo o tipo de imagens através do desenho. Foi anunciada publicamente a sua disponibilidade para naquele espaço e tempo materializar toda e qualquer imagem que o visitante lhe pedisse, sendo que não guardaria dela registo e a entregaria imediata e gratuitamente à pessoa que lha pediu. Qualquer tipologia de marcas sobre uma superfície de papel (desenho em sentido clássico, desenho de projecto, ilustração, desenho abstracto, etc) seria e foi aceite sem reservas. Todas as perguntas que o autor fez durante a realização dos desenhos foram no sentido de perceber o melhor possível o desejo da pessoa.

Na conferência de apresentação dos resultados do projecto, o autor leu em voz alta tudo aquilo que lhe fora pedido durante as duas semanas. Convidou também uma das pessoas para quem tinha desenhado e com ela reconstituiu-se verbalmente o processo de nascimento e evolução do desenho que tinha feito para essa pessoa, através do cruzamento das percepções e experiências dos dois intervenientes.

 

 

 

 

Fotografia:
todas as imagens – Teresa Carneiro